Tratamento de esgotos domésticos e efluentes industriais em reator anaeróbio de fluxo ascendente e manto de lodo (uasb)

1. FUNDAMENTOS DO PROCESSO ANAERÓBIO

A biodigestão anaeróbia é um processo fermentativo, em que diversos gêneros de bactérias transformam a matéria orgânica em metano e gás carbônico (biogás).

 
2. EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA DO TRATAMENTO ANAERÓBIO – REATORES UASB <br>
A TreeBio conta com o know-how técnico para desenvolver e projetar sistemas de biodigestão anaeróbia em reatores de fluxo ascendente e manto de lodo – UASB (Upflow Anaerobic Sludge Blanket), para tratamento de esgotos domésticos, vinhaça proveniente de Usinas de Açúcar e Álcool, e efluentes industriais.
O biodigestor é caracterizado por possuir na sua parte superior interna um conjunto de decantadores, precedidos de placas defletoras de gás.
O despejo a ser tratado é uniformemente distribuído no fundo do reator e em seu percurso ascendente atravessa uma camada de lodo biológico, onde ocorre a transformação da matéria orgânica em biogás.
Os defletores impedem que este gás entre nos compartimentos de decantação, dirigindo-o a câmaras de gás isoladas. A porção de lodo que chega aos decantadores é separada e retorna ao fundo do reator, por gravidade.
O efluente é uniformemente descartado da superfície dos decantadores.


3. VANTAGENS DO TRATAMENTO ANAERÓBIO – UASB
As principais vantagens decorrentes do emprego do tratamento anaeróbio em reatores UASB como primeira etapa do tratamento de esgotos domésticos e efluentes industriais são as seguintes:
• Ausência de equipamentos mecânicos para a degradação do efluente no reator UASB;
• Simplicidade operacional, quando o reator for bem projetado e instalado;
• Custo operacional, de energia e de manutenção menores;
• Possibilidade de geração de energia, através da utilização do biogás produzido;
• Remoção de cerca de 70% a 90% da matéria orgânica original do despejo, restando, portanto, apenas uma pequena parcela para ser tratada por processo aeróbio;
• Redução proporcional da necessidade de oxigênio para o processo aeróbio de pós-tratamento, com a consequente redução na necessidade de equipamentos e no consumo de energia;
• Menor formação de lodo, o qual já se encontra adensado e estabilizado, eliminando a necessidade de adensamento mecânico e digestão posterior do lodo, e reduzindo equipamentos e energia para a desidratação dos lodos;
• Possibilidade de estabilização dos lodos gerados no processo de pós-tratamento nos próprios reatores UASB, sem necessidade de adensamento e estabilização separada do lodo secundário.
4. UTILIZAÇÃO DE REATORES UASB NO BRASIL

Os reatores UASB têm sido utilizados em diversas aplicações no Brasil, destacando-se os seguintes efluentes com potencial de serem biodigerido anaerobicamente:
• Esgotos Domésticos
• Cervejarias
• Refrigerantes
• Vinhaça de Cana-de-Açúcar
• Alimentos em geral
• Laticínios
• Cítricos
• Abatedouros e Frigoríficos
• Papel e Celulose